Páginas

Cotas raciais argumentos a favor: Porque sou a favor DAS COTAS RACIAIS |

Direitos Humanos e Cidadania | Cotas raciais a favor

Depois da escravidão, vários fatos históricos de desconhecimento público ainda demostram a necessidade das cotas raciais como um fator de acréscimo aos direitos humanos. Não podemos esquecer, também, que as UNIVERSIDADES PÚBLICAS são de TODOS, não apenas da ELITE pois todos PAGAM e tem os MESMOS DIREITOS.

argumentos a favor das cotas raciais

Critérios elitistas, com conteúdo inexistente nos colégios públicos, de forma totalmente injusta, que não estimulam o raciocínio e a dedução, são adotados para eliminar as classes mais baixas, ( assim como fazem em muitos concursos públicos, com temas totalmente inócuos, apenas para excluir a "dita ralé" do convivio dos mais ricos ) sobretudo os Negros e Pardos, o que é ilógico, a cor e a pobreza não definem capacidade intelectual, isso é racismo .




mais argumentos a favor das cotas raciais


Devem também, melhorar as escolas públicas e adotar melhores critérios no ensino dos alunos...

HISTÓRIA: Depois do fim da escravidão, os descendentes de africanos não tiveram apoio do governo, ficaram a mercê da miséria e da fome. Afinal ninguém queria um ex escravo com funcionário, pois não tinha educação, nem qualificação.

alguns argumentos a favor das cotas raciais

Durante o ano de 1700 e 1800, os afrodescendentes brasileiros viviam e cortiços e em favelas, bebendo aguardente, cantando lundum, jogando capoeira e vivendo de biscates e malandragem, porque eram analfabetos e não tinham qualificação. Enquanto os descendentes de portugueses viviam em casas confortáveis, ouvindo modinhas de viola e bebendo vinho. A educação pública era de excelente qualidade, porque só era elíptica e destinada aos descendentes de portugueses. Outro fator que colaborou pesadamente para aumentar ainda mais a miséria desse povo foi a imigração italiana e japonesa. Os italianos vieram substituir a mão de obra escrava no inicio do século, para eliminarem os postos de trabalho dos negros. Os italianos já tinham um emprego garantido na lavoura , deixando os negros em situação mais deplorável. Afinal os italianos eram brancos, católicos, mais instruídos e os negros, analfabetos, umbandistas e candomblicistas...Mas não porque escolheram isso. A igreja católica , que na época era a única igreja reconhecida no Brasil, também discriminava os negros, não os aceitavam em seus cultos, e uma das razões era a famosa e totalmente equivocada interpretação bíblica que dizia que os africanos eram amaldiçoados por virem de uma linha inferior de Noé...

quais os argumentos a favor das cotas raciais

Assim que, para seguirem as linhas religiosas católicas, incorporaram elementos do catolicismo a suas crenças africanas e fundaram o candomblé, que até hoje ainda não é reconhecido como religião pela fé Católica. Mas os negros continuaram a serem discriminados, humilhados e explorados: Na famosa abertura da educação para todos, os professores qualificados passaram a lecionar em escolas privadas e os brancos não queriam estudar juntamente com os negros e mulatos. Escolas com negros era sinônimo de escola desqualificada. Essa tática agressiva, racista e desumana de diminuição do povo negros, incentivada pela elite portuguesa, pela Igreja e pela próprio governo, foi inexoravelmente se alastrando por toda a história. Assim que o ensino público virou o que é hoje. Quando surgiu a USP e as faculdades públicas de qualidade, os elitizados critérios de qualificação impediram os afrodescendentes de disputarem em pé de igualdade com os descendentes de portugueses e italianos, Esses critérios de qualificação de forma nenhuma tinham o intuito de melhorar a qualidade do ensino e sim afastar os negros da escola, porque não eram baseados no raciocínio analítico e sim em conteúdos que não eram dados nas escolas públicas. Ou seja, seguiam fielmente os padrões das escolas onde estudavam os brancos descendentes de portugueses. 

muitos argumentos a favor das cotas raciais


(...) Com cerca de 14,5 milhões de afro-brasileiros/as, ou seja, 34,6% da população de 42 milhões de paulistas, São Paulo é o estado com a maior população negra do Brasil. Só na Capital são 4 milhões de negros/as. Apesar da importância política, econômica e cultural da presença negra, São Paulo se conformou em um estado estruturado pelas desigualdades raciais.

todos os argumentos a favor das cotas raciais

Segundo todos os indicadores socioeconômicos, negros/as ganham menos para as mesmas funções, padecem das piores condições de vida e estão ausentes dos espaços de poder. Ao mesmo tempo essa população, em especial a juventude, é a principal vítima da política de segurança pública do estado, que encarcera, tortura e mata, em uma absurda proporção. Aqui, as chances de negros serem assassinados são 132% maiores do que o assassinato de uma pessoa não negra (Mapa da Violência 2012).
(...) Paulo Genovese

A UNIVERSIDADE É PUBLICA, paga com dinheiro dos impostos de todos nós, e não deve fazer distinção social. Deve, sim, justificar melhorias na qualidade do ensino publico fundamental. E ainda hoje, o Governo do Estado de São Paulo não conseguiu nenhum avanço nesse sentido e ademais, quer adotar os mesmos critérios segregacionistas seguidos antigamente por essas universidades, tratando os negros como seres humanos de segunda categoria.


Mais de Direitos humanos e cidadania: